top of page

A finitude

Costumo falar que aquele momento na porta do velório de alguém querido é um momento de promessas e reflexões.


Momento em que somos obrigados a encarar o fato de que existe o fim e que por defesa deixamos de pensar no óbvio. Quando pensamos no fim, pensamos em como estamos vivendo. É confuso, é paradoxo e dói.


Angústia, ansiedade e depressão são consequências dessa ideia de que estamos perdendo o tempo e que o óbvio de fato está diante de nós, logo ali... A finitude!


Como diria o cantor: "não há tempo que volte amor, vamos viver tudo que há para viver, vamos nos permitir."


Dra Nathalia Caterina

Médica e Fundadora da PlenaVi



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page